O “Seminário Ribeira em Foco” prosseguiu durante toda esta sexta-feita (17), no auditório do Sesc Centro, com a realização de mesas redondas para apresentar e discutir os projetos e propostas de melhoria para a Ribeira e seu entorno. O Seminário é uma iniciativa da Prefeitura de Natal por meio do Grupo de Trabalho para Projetos Estruturantes da Ribeira e Entorno (Coopere), coordenado pela Semurb.

Dentre as temáticas apresentadas e discutidas estavam os diagnósticos da situação atual do bairro e seu entorno nos campos urbanístico-ambiental, fiscal e de infraestrutura. Além dos projetos estruturantes previstos e em andamento em todas as esferas da Administração Pública, bem como as Políticas de Reabilitação de Áreas Centrais e a Nova Lei de Operação Urbana.

De acordo com a secretária adjunta de Planejamento Urbanístico e Ambiental da Semurb, Flóresia Pessoa, o Seminário teve como objetivo além das discussões apresentar para a sociedade o trabalho que vem sendo desenvolvido há dois anos pelo grupo.

“Com esse seminário objetivamos apresentar à população esse trabalho, além de promover uma comunicação mais próxima para estimular debates que contribuam para a criação de uma nova política de Reabilitação para Ribeira e entorno. A nossa perspectiva é conseguir alavancar outros seminários como esse”, acrescenta Florésia.

A Reablitação Urbana é uma estratégia de gestão que, por meio de ações múltiplas e coordenadas, visa valorizar as potencialidades sociais, econômicas e funcionais, melhorando a qualidade de vida da população residente ou usuária e mantendo a identidade do lugar. Portanto, pressupõe o estabelecimento de relações harmônicas entre usos existentes e novos, assegurando a manutenção da estrutura urbana e a conservação das principais características arquitetônicas dos prédios. Para isso, o Poder Público coordena as ações que devem envolver moradores, usuários, proprietários e investidores.

O “Seminário Ribeira em Foco” teve o apoio institucional do Conselho das Cidades (Concidades) e a parceria da Caixa Econômica Federal, Banco do Brasil, Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (IPHAN-RN), Sistema Fecomércio/Sesc, Companhia de Águas e Esgotos do RN (Caern), Miranda Computação e Sindicato da Construção Civil (Sinduscon-RN).

Debates

Durante a manhã ocorreram duas mesas redondas, a primeira composta pela arquiteta da Semurb, Karitana Santos, pela arquiteta da STTU, Fátima Arruda, pelo engenheiro da Semov, Vital Nóbrega, pelo titular da Semsur, Antônio Carvalho e pelo secretário adjunto da Seharpe, Josuá Neto.

Dentre os pontos mais importantes destacados pelos palestrantes estão: a retirada das linhas de ônibus no corredor cultural da Avenida Câmara Cascudo; o diagnóstico dos principais problemas na rede de drenagem do bairro, sobretudo, na captação de águas pluviais, já que a Ribeira possui pontos de inundações; a preocupação com a poluição visual causada pelos fios e cabeamentos, que encobrem as fachadas de prédios históricos; e a regularização fundiária do bairro.

A segunda mesa foi composta pela representante do IPHAN, Lithany Eufrásio; pelas representantes da secretaria de Turismo do Estado (Setur-RN), as arquitetas Maria Helena e Evelin Eshor; pelo superintendente da Companhia Brasileira de Trêns Urbanos (CBTU), João Maria Cavalcanti; e representantes da CODERN, o engenheiro civil, Paulo Alfredo e Hanna Safieh.

A explanação dos palestrantes trouxe os detalhes sobre os principais projetos estruturantes para a Ribeira e seu entorno. São pelo menos 30 intervenções, dentre elas o reuso do Hotel Central, a reurbanização da Avenida Beira-Mar, a requalificação de 13 praças e do Centro Histórico, e a restauração de prédios como o Palácio Felipe Camarão, Teatro Alberto Maranhão (TAM), antigo prédio da Semut e Fortaleza dos Reis Magos.

Além disso, foi debatido o compartilhamento das vias com o controle da velocidade dos veículos; a estruturação e criação de um meseu a céu aberto com um corredor cultural e turístico para a contemplação arquitetônica; e a ampliação da estação ferroviária da Ribeira, reservando uma área para shows e apresentações culturais.

Durante a tarde, a última mesa discutiu as contribuições para uma Política de Reabilitação da Ribeira. Com a participação do representante do Sinduscon, Marcos Aguiar; do IAPHACC, Ricardo Tersuliano e do titular da Seharpe, Josuá Neto. 

Encerrando o semináro Ribeira em Foco o titular da Semurb, Marcelo Rosado, parabenizou a todos os envolvidos e ressaltou que o evento foi uma oportunidade de expor as propostas existentes. Mas, segundo ele essa foi só mais uma etapa vencida, e que a partir deste momento a sociedade também precisa abraçar esses projetos para que eles possam ser consolidados.

Em breve, será lançado no site da secretaria todo o material discutido durante o seminário, e um calendário com novos encontros que darão seguimento as discussões.