Lei de Acesso
 

Faça sua busca pelo site


Notícias

natal.rn.gov.br » Notícias » Notícias

12/07/2019 12:17
  • Trabalho de campo dos agentes de endemias reforça combate ao Aedes aegypti
Daniel Morais

Mesmo no inverno, a luta contra o mosquito transmissor da dengue, Chikungunya e Zika – Aedes aegypti - deve ser permanente e de todos. O Centro de Controle de Zoonoses (CCZ) tem intensificado o trabalho de orientação, educação, combate, controle e monitoramento ao vetor. Na manhã desta quinta-feira (11), agentes de combate às endemias realizaram um mutirão pelas ruas do conjunto Vale Dourado, em Nossa Senhora da Apresentação, na zona Norte de Natal, e fizeram o serviço de controle e prevenção contra os focos do mosquito.

Na visita dos agentes, houve coleta de amostras, vistorias e ações de conscientização para prevenir e eliminar possíveis criadouros do mosquito. Para Luciano Silva, Supervisor de Campo do Distrito Sanitário Norte II, um dos pontos importantíssimos no combate contra a dengue é a educação e a contribuição dos moradores.

“A prevenção maior é a educação. A gente faz a visita domiciliar para identificar e eliminar os criadouros, porém, a população não deve esperar a nossa visita. Os próprios moradores precisam ajudar nesse combate coletivo. Seja limpando o quintal, não deixar água parada e sempre ficar de olho após as fortes chuvas”, conta Luciano.

A dona de casa Maria Cristiane foi uma das visitadas nessa ação. Ela fez questão de ajudar no combate e garantiu que as portas sempre estarão abertas para visitas futuras. “É muito importante esse trabalho feito pelos agentes. Como moradora, estou fazendo a minha parte. Agora o resto da população também precisa fazer alguma coisa”, garante Maria Cristiane.

Recentemente, várias armadilhas contra o Aedes aegypti foram distribuídas nas residências da região norte da capital. “A orientação para a armadilha é que complete a água. Não é para trocar, apenas completar. Ela consiste na instalação de vasilhas de plástico, e um tecido impregnado com larvicidas. Após o pouso, o mosquito é contaminado, assim, levando o veneno para os criadouros”, complementa Luciano Silva, chefe de operações de campo.

Além de ações sociais, as visitas são feitas diariamente em diferentes pontos estratégicos da cidade. “A gente faz diversas ações sociais na luta contra o mosquito. Por exemplo, visitamos borracharias e fábricas para alertar as pessoas num eventual perigo e risco a saúde. Por isso, a equipe toda está de parabéns, o trabalho nesse meio é bem feito”, finaliza Luciano Silva


Compartilhar no Facebook   Compartilhar no Twitter   Enviar por E-mail   Gerar para Arquivo/Imprimir  
SEMPLA desenvolvimento. Seguimos as seguintes recomendações de projeto: w3c_aa w3c_xhtml w3c_css