Lei de Acesso
 

Faça sua busca pelo site


Notícias

natal.rn.gov.br » Notícias » Notícias

04/04/2017 16:13
  • Procon Natal intensifica fiscalização da venda de pescados

Com a proximidade da Semana Santa, aumenta o consumo de pescado e visando garantir ao consumidor um produto de qualidade, o Instituto Municipal de Proteção e Defesa do Consumidor (Procon Natal) Natal intensifica a fiscalização da venda de peixes e mariscos. São observados itens como a temperatura dos alimentos, lacres, datas de validade e também preços.

A diretora geral do Procon Natal, Aíla Cortez, explica que a ação está sendo intensificada desde segunda-feira e segue até a próxima semana. Neste período o órgão de defesa do consumidor divulga pesquisa de preço de pescados para verificar o comportamento do comércio e orientar os consumidores sobre os locais que vendem com valores mais em conta.

Aíla Cortez observa também que os comerciantes vêm mudando o comportamento em função da competitividade e da frequência com que o Procon fiscaliza este segmento empresarial. “Justamente por isso, até agora não constatamos nenhuma irregularidade, ao contrário do que ocorreu até o ano passado. Observamos que os comerciantes estão mais conscientes dos cuidados que devem adotar e comercializando produtos com qualidade e dentro das normas exigidas”, frisou.

Para registrar reclamação, o Procon Natal fica situado no cruzamento da Avenida Princesa Isabel com Rua Apodi, Cidade, CEP 59025-400, com funcionando das 8h00 às 16h00, telefone 3232-9050 e para qualquer esclarecimento ou dúvida disponibilizamos o whatsapp 98870-3865 ou e-mail, procon.natal@natal.rn.gov.br.

Pesquisa aponta aumento médio de 14% no preço do pescado


Pesquisa realizada pelo Instituto Municipal de Proteção e Defesa do Consumidor (Procon Natal) – órgão da Prefeitura Municipal do Natal, nos estabelecimentos comerciais, hipermercados e supermercados na seção de peixaria da cidade do Natal de pescado e bacalhau para a Semana Santa, constatou aumento médio de 14% para os pescados em geral, 0,05% para o bacalhau e 54,11% no camarão médio, comparando com o mesmo período do ano passado.

Nesse período é verificado um substancial aumento na procura do pescado para semana santa. A pesquisa atende a uma metodologia de média aritmética e classificação de peixe, bacalhau e crustáceo. Com intervalos entre semanas e entre anos, o Procon Natal vem acompanhando nos últimos anos a tendência de alta nos preços dos gêneros alimentícios.

A pesquisa foi realizada nas duas últimas semanas do mês de março do corrente ano entre os dias 20 a 24 e 27 a 31, respectivamente, com o objetivo de orientar os consumidores em suas compras neste período e também para informar ao consumidor sobre eventuais diferenças de preços.

O Procon Natal pesquisou mais de uma dezena de tipos de peixes e crustáceo (camarão), em vários tipos dentre os mais consumidos, variando nas formas de venda, como por exemplo, peixe em posta, inteiro, filé e salgado, em dez (10) supermercados e hipermercados, distribuídos por todas as regiões da cidade.

A DIFERENÇA DE PREÇOS
O consumidor dispõe de grande variedade de tipos de pescado, tanto nos supermercados como nos hipermercados. O consumidor deve observar com cuidado o peixe que vai comprar, quanto à sua qualidade, aparência, cheiro, cor e consistência, no intuito de evitar problemas à saúde, pois se trata de alimento muito perecível. No entanto, os pesquisadores encontraram poucos estabelecimentos de peixaria com peixe fresco, uma vez que este produto é comercializado em sua maioria congelado em refrigeradores e em embalagens individualizadas por quilos ou gramas.

Nesta pesquisa, o Procon Natal constatou que a diferença entre os preços é grande para o mesmo item em diferentes estabelecimentos, podendo chegar a mais de 189,73% no caso do dourado em posta na primeira semana da pesquisa, dependendo do estabelecimento. O instituto recomenda que o consumidor pesquise antes de comprar, pois as diferenças são grandes, e é possível economizar com a simples comparação.

BACALHAU E CRUSTÁCEO
O Procon Natal, pesquisou também preços do bacalhau Imperial do porto e o Saith. Esses são os dois tipos de bacalhau mais comum nos estabelecimentos comerciais encontrados pelo instituto. O bacalhau Imperial do porto apresenta menor preço em média (R$80,35/kg), e uma diferença de (-0,87%) já no comparativo com o ano passado uma diferença de (-0,94%). O maior preço encontrado foi de (R$ 93,99/kg) e o menor preço (R$ 49,90/kg) também na segunda semana da pesquisa. Já no bacalhau Saith é comercializado em pedaços e em lascas, no entanto o preço em média foi de (R$37,07/kg) com uma diferença de 4,39% de uma semana para outra, já no comparativo no mesmo período do ano passado foi de (2,28%).

Também foi pesquisado pelo Procon Natal, o preço do camarão médio cinza. Um produto de exportação, que nos últimos anos parte da produção é destinada a abastecer os centros consumidores do estado e capital. O camarão é vendido em vários tipos como exportação, grandes e médios, no entanto a pesquisa especificou o preço do camarão médio. Onde apresenta menor preço (R$34,90/kg, menor preço) que se manteve nas duas semanas e o mais caro (R$ 78,72/kg, maior preço) na primeira semana e com redução para (R$ 68,72/kg maior preço) na segunda semana. Em relação ao ano passado houve um aumento de (117,93%) no mesmo período. O preço em média do camarão das duas pesquisas foi de (R$ 51,98 kg) e uma variação de (-18,71%).

A pesquisa do Procon Natal verificou uma redução de preço em 10 (dez) dos 24 (vinte e quatro) tipos de peixe pesquisado, como foi o caso da sardinha vicerada onde a redução de uma semana para outra foi de (-45,99%) e a Tilapia com (-22,08%).
No entanto a pesquisa no comparativo com o ano passado mostra que os peixes tiveram um acréscimo nos seus preços em 14 (catorze) tipos, 6 (seis) não tiveram comparativo de um ano para outro, por não estarem disponíveis no mercado, e apenas 4 (quatro) apresentaram redução de preço, levando em consideração apenas os peixes.





 


Compartilhar no Facebook   Compartilhar no Twitter   Enviar por E-mail   Gerar para Arquivo/Imprimir  
SEMPLA desenvolvimento. Seguimos as seguintes recomendações de projeto: w3c_aa w3c_xhtml w3c_css